terça-feira, 27 de julho de 2010

Lareira sem lenha

Com esse friozinho, vai dizer que nao dá uma vontadezinha de ficar em casa, na companhia do maridón, curtindo um vinho com uma boa seleção de queijos... se tiver uma lareira então... o ambiente fica ideal. Vocè não tem lareira porque nao quer quebrar a parede para fazer chaminé? Seus problemas acabaram!!! :) Olha só que charme essas lareiras que não precisam de lenha para aquecer o ambiente...

Existem as que funcionam a gás, a etanol e até que as que funcionam com eletricidade.


Elas aquecem o ambiente sem criar fumaça nem sujeira e ainda, oferecem praticidade e visual contemporâneo, que combinam com o jeito urbano de viver.

Elas podem custar de R$ 1.560 até R$ 5.600 e podem ser encontradas na Ecofireplaces, Construflama, LCZ Lareiras, Polytec e Delapraz.


Aqui em SP até dá para viver sem, mas na minha terrinha um foguinho, nem que seja a gás ou elétrico, é essencial!!!


Sem contar que fica um charme... gostaram?



quinta-feira, 22 de julho de 2010

Toscana

Ai, ai... tem vezes que dá uma preguicinha de escrever sobre o meu tema do momento... "a viagem"... por alguns motivos: primeiro, porque é super difícil escolher as melhores fotos. Depois, porque tem tanta coisa para contar, que a gente acaba esquecendo algo importante... :) Mas vamos lá, que promessa é dívida!

Depois dos nossos dois intensos dias em Roma, alugamos um carro e fomos indo para a Toscana. Fomos pela costa e foi mágico ver o cenário mudando, a serra começando e as famosas casas de campo alaranjadas com aquele campo verdinho em volta... muito legal. Saímos às 16h de Roma e chegamos lá pelas 20h em Siena. E aí começou nossa aventura para encontrar o nosso escondido hotel. Nosso GPS nos levou para um lado e fomos descobrir beeem depois que deviamos ter ido para outro! Sorte que em Junho, escurece bem tarde. Mesmo assim acabamos encontrando nosso Borgo lá pelas 22h!

Escolhi essa foto abaixo do Tuco para abrir o post, pq foi minha favorita. Foi em San Giminiano, uma cidadezinha histórica toscana, conhecida como a Manhattan Medieval, porque tinha umas torres... hehe

Bom, o hotel foi escolhido a dedo por mim. Queria me sentir uma hóspede da Gemma e do Totó da novela Passione - hehe. O nosso quarto foi maravilhoso. Na verdade era um apartamento enorme com piso de pedra e moveis rústicos típicos da Toscana. Essa era a entrada da nossa casinha:
Como estávamos cansados, acabamos pedindo pão e vinho com salame e queijo! Uhuu, eles montaram a mesa no nosso apartamento, muito show.


E nos tivemos nosso jantarzinho romantico na Toscana, super empolgados com o que nos aguardaria no dia seguinte. Reparem no detalhe do meu pijama de coruja... hehehe e o pobre do Tuco estava muito mal nesse dia, com muita gripe tadinho... e tinha dirigido um montão!

No dia seguinte, me senti em Gramado. Parecia que tinha uma neblina no ar e nao tinha nenhum sol nem céu azul. Fiquei triste, mas mesmo assim fomos passear. Fomos conhecer as redondezas do hotel. Amei o cuidado que eles decoraram a area externa do hotel. As flores coloridas deram um contraste lindo com os tijolos a vista.

E aí, atrás do hotel, tinha umas paisagens básicas tipo essa aí:



Esse era o nosso hotel visto da rua...



E a porta do nosso ape-casa-quarto...

Pegamos o carro e fomos curtir o cenário lindo...


Mágico... me senti num filme, numa novela...


Aí fomos conhecer Siena. A cidade é um charme. De turístico so tem a praça e as catedrais, que acabam sendo meio iguais a todas as outras. O que mais gostei foram os detalhes da cidade, como as janelas em suas molduras e as portas personalizadas para cada casa.

Aí abriu o sol e voltamos para nosso interior, onde estava nosso hotel. Queriamos ver aqueles cenários com a luz do sol. E foi mais uma experiencia de outro mundo...

Essa área de Siena é linda, aconselho a todos que quiserem ir para o interior da Toscana.
Esses prédios, ficam numa praça de San Giminiano, a cidade mais charmosa que fomos.

O visual é colírio para os olhos. Nenhuma imagem fica melhor registrada que a imagem que guardamos na memória... AMEI!


sábado, 3 de julho de 2010

Quem tem boca vai à Roma

Foi nossa primeira vez em Roma e reservamos dois dias para conhecer essa cidade. É óbvio que foi pouco para quem curte historia como eu. Em dois dias, é humanamente impossível conhecer os detalhes de Roma. E diga-se de passagem, com mais de 2 mil anos de história, tem um bocadinho de detalhe para descobrir. Tudo em Roma tem milhares de anos. A cidade já testemunhou tanta história que fica difícil de imaginar. Mas é sim possível conhecer os principais pontos de Roma em 48 horas. Roma é conhecida internacionalmente como A Cidade Eterna pela sua história milenar. Segundo o mito romano, a cidade foi fundada em 753 a.C! Faz as contas aí... são 2763 anos de história... certo?

No interior da cidade encontra-se o estado do Vaticano, residência do Papa. E foi lá que foi nosso primeiro destino, já que havia comprado os tickets do Museu do vaticano pela Internet. Essa é uma dica valisiosíssima!!! Eu tinha lido isso antes de ir e resolvi apostar. Foi a melhor coisa que fizemos. Passamos direto numa fila muito, mas muito grande... não, vcs não estão imaginando grande o suficiente. É mais que isso. Com o comprovante impresso, entramos direto e nem fila para trocar os ingressos pegamos. Great. Começamos nosso tur pelo Museu do Vaticano. Muita história, muitos tesouros guardados.



Mas a principal atração do museu é mesmo a Capela Sistina. Construida em 1473 é até hoje uma das áreas mais importantes do complexo do Vaticano, sendo a capela escolhida para sediar o Conclave Papal, onde os Papas sao eleitos. Lá dentro fotos sao expressamente proibidas e é TÃO lotado, mas TÃO lotado que mal se consegue ver direito… mas vale a pena… é impressionante imaginar como todos aqueles paineis foram pintados a mao, o que eles significam para o mundo e quanta coisa aquelas paredes já presenciaram…

Outra dica mega importante: o Roma Pass. Por 25 euros, vc ganha um cartao que dá direito a transporte público ilimitado por 3 dias e tbem acesso a alguns museus. Inclui Coliseu, Foro Romano e Palatino. Mas tem muitos outros museus tbem. Tbem comprei pela internet, mas é melhor comprar lá direto pq pela internet, vc tem que escolher onde vai retirar. E o Roma Pass é vendido em todos os pontos de informação turística. tem no aeroporto, na estação Termini... ah, o Roma Pass nao é valido para o transporte do aeroporto para a cidade.

Saindo do Museu, fomos dar uma volta na praça de São Pedro. Acabamos não entrando na Basílica São Pedro pq tinha uma fila do tamanho do mundo e neste caso, não tínhamos ingresso preferencial. Como tínhamos pouco tempo, resolvemos seguir a caminhada. Agora vamos ter que voltar para Roma para entrar na Basílica!!!



De lá, fomos caminhando pela Via della Conciliazione até chegar na Piazza Adriana, onde fica o Castello Sant’Angelo, fortaleza construida pelo Imperador Adriano (em 138 d.c.!!!!), servindo como fortaleza Papal, prisão e palácio além de até hoje servir como forte das jóias Papais e do Vaticano.


Essa é a vista do Vaticano lá do Castel Sant Angelo.


Seguimos nos perdendo pelas ruazinhas de Roma até chegarmos na Piazza Navona, composta nao apenas de inumeros cafes, restaurantes e artistas de rua, mas 3 lindas fontes construidas por Bernini e seus alunos. A central, e principal, é a Fontana dei Fiumi, e representam os 4 grandes rios do mundo: Ganges (Asia), Nilo (Africa), Danubio (Europa) e Prata (Americas). Em cada uma das pontas da praça estao as fontes Del Nettuno e Del Moro.


Adorei essa janelinha florida. Detalhe na placa da Piazza...



Seguimos em direção a Fontana di Trevi, que na minha opinião é um dos lugares mais bonitos e românticos de Roma! O único problema é que na verdade a cidade cresceu tanto em volta da praça, que acabou nao sobrando espaço nenhum pros turistas! Consequencia: a praça está constantemente lotada de gente, e é quase impossivel conseguir uma boa foto…

O dia seguinte começou cedo! Acordamos com a missão de chegar no Coliseu bem cedo. Nossos esforços não foram em vão. Chegamos cedo, entramos sem fila, com nosso super Roma Pass e curtimos o Coliseu o quanto quisemos. Sem correria, ficamos lá um tempão, lendo todas as informações e imaginando como deveria ter sido majestoso nos seus tempos áureos, em que testemunhou gladiadores lutando com as feras, cristãos sendo sacrificados e as demais "diversões" que aconteciam naquele palco para os cidadãos romanos. É impressionante imaginar que apenas dois terços da estrutura original conseguiram resistir ao tempo, terremotos, vândalos e aos construtores medievais que o utilizaram como uma pedreira de onde tiravam materiais para suas construções. Mesmo assim, essa construção impressiona até hoje.








Seguimos pela colina do Palatino e chegamos no Foro Romano, que um dia foi o centro do Império Romano. Hoje, só restam ruínas mesmo e se vc não tiver um bom livro com informaçoes ou um guia, desista de encontrar informações por lá, pq nao tem.



De lá, fomos em direção ao Pantheon. O Pentheon é considerado a mais antiga Igreja do mundo, pois na verdade foi construida em 27 a.c. como um templo pagão a todos os Deuses. Apenas em 609 d.c. o Papa Bonifacio IV converteuo templo a uma igreja catolica dedicada a Virgem Maria, e onde foram sepultados varias personagens ilustres da historia Italiana. A Igreja é tao imponente e diferente que nao tem como nao ficar de queixo caido. O espaço circular, a maior porta de bronze do mundo e culunas, que apesar de enoooormes, foram esculpidas a partir de pedaços unicos de pedra. As fotos ficaram meio feinhas pq o Pantheon estava em reforma...

De lá, fomos para o Campidoglio, praça desenhada por Michelangelo, cercado de palacios e museus nos 3 lados da Piazza, com 2 leoes Egipicos na base da escada, tambem esculpidos por Michelangelo e uma estatua de Bronze de Marco Aurelio no centro.




Descendo as escadarias do Campidoglio chegamos na Piazza Venezia e o predio-monumento Vittorio Emanuelle II, aparentemente odiado pela maioria dos Romanos. Nós também não curtimos muito, pois parece que destoa um pouco dos outros monumentos históricos da cidade. Ali se encontram algumas das ruas e avenidas mais importantes da cidade, como a Via dei Foro Imperiali, a Via del Corso, Via Quattro Novembre. O Monumento foi construido pra comemorar a unificação da Italia e já foi casa oficial do Mussolini.


Ficamos hospedados num hotel próximo a Estação Termini. Havia lido que não era o melhor lugar para ficar, mas nós adoramos. O hotel era muito bom (Paladium) era perto da Igreja Santa Maria Maggiore e pertinho do metro e o trem que leva até o aeroporto. É uma área cheia de restaurantezinhos baratos e gostosinhos e não é perigoso como eu tinha lido. Acredito que é porque é bem movimentado, mas de qualquer forma é bom ficar ligado, pq a gente nunca sabe...
No final desses dois dias intensos em Roma, fomos para o aeroporto para alugar um carro e começar nossa viagem para a Toscana... mas essa vai ter que ficar para um próximo post!